RH: O que a pirâmide de Maslow não diz sobre Motivação

A Pirâmide de Maslow foi criada por  Abraham Maslow em 1943 e é até hoje a principal referência no estudo de necessidades humanas.  A teoria de Maslow dizia que as necessidades da base da pirâmide deveriam ser supridas antes das necessidades do topo, e essa é a mas famosa teoria de motivação do mundo.
No mundo dos negócios, isso quer dizer que melhorar o local de trabalho é uma parte importante para garantir a satisfação e motivação dos colaboradores. Garantir que as pessoas tenham comida e água o suficientes para suas necessidades biológicas e que elas estejam em locais seguros é o mínimo a se fazer, mas a verdade é que as pessoas podem ter motivações de mais alto nível a qualquer momento e em qualquer lugar.
(a famosa pirâmide estudada por todos os graduandos de Marketing e Administração)
Apesar da popularidade de Maslow, não existe nenhum estudo atual que corrobore a teoria. A ciência moderna fala em 3 necessidades psicológicas universais: autonomia, relacionamento e competência.
AUTONOMIA é a necessidade das pessoas sentir que elas tem a escolha, que o que elas fazem é de sua própria vontade.O modo no qual a gerência apresenta informações e situações aos colaboradores promovem se eles irão perceber essa situação como aumentando sua autonomia ou a diminuindo.
Para promover autonomia é importante definir metas e prazos de modo que influenciam no sucesso e não como imposições. Competição e jogos internos também não funcionam muito bem para trabalhar a autonomia, competições costumam levar a sensação de diminuição de autonomia. Pressão para resultados é outra tática que não funciona em um nível psicológico avançado, as pessoas tem que buscar melhores resultados por que elas querem e não porque são obrigadas.
RELACIONAMENTO é a necessidade das pessoas de se importarem com outros e se sentirem importantes aos outros, de se sentirem conectadas sem motivações escusas, e de sentir que estão contribuindo para algo maior que si mesmas. Para aumentar o relacionamento dentro das empresas, líderes podem validar a expressão de sentimentos no local de trabalho, como perguntas para colaboradores como eles se sentem a respeito de um projeto ou meta e ouvir suas respostas – nem todo comportamento pode ser aceito, mas todos os sentimentos devem ser explorados. Também é importante conectar o trabalho das pessoas com uma causa nobre e desenvolver os valores das pessoas no ambiente de trabalho.
COMPETÊNCIA é a necessidade das pessoas de se sentirem úteis e efetivas nos desafios e oportunidades do dia a dia, e o sentimento de crescimento e desenvolvimento na carreira. Líderes devem trabalhar com o desejo que as pessoas têm de crescer e aprender coisas novas. Deixar disponível materiais para aprendizado é importante para trabalhar a sensação de competência, e em caso de dificuldades econômicas é importante pensar bem se cortar o investimento em treinamento e desenvolvimento profissional é a melhor coisa a se fazer para seus colaboradores e clientes. Outra ideia interessante é criar metas de aprendizagem, além das tradicionais metas de resultado.
Ao contrário da pirâmide de Maslow, essas três necessidades psicológicas não têm hierarquia, podem ser atendidas em qualquer ordem e a qualquer momento. E é importante notar que essas três necessidades estão intimamente ligadas a vida dentro do ambiente de trabalho. As pessoas que experienciam alta qualidade de motivação no dia-a-dia tem uma paixão pelo trabalho muito mais, e ter colaboradores engajados leva a diversos benefícios dentro da empresa. 
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s