ENTREVISTAS QUE INSPIRAM – Horizonte Venzon (72 NY)

“Toda história de sucesso tem uma grande história de dedicação por trás”

Horizonte Venzon

 

hori 

Horizonte Venzon (Hori) é um empresário cuja história de seu negócio se mistura a história do bairro Auxiliadora, e em alguns pontos, até com a história de Porto Alegre. Hori abriu há mais de 20 anos atrás o famoso 72 New York, uma das casas noturnas mais longevas da cidade. Acontece que a história deste empreendimento não começou com uma casa noturna, e sim com uma confeitaria aberta pelos pais de Hori no início dos anos 80.

“Muito me orgulha eu ter chegado aqui com uma simples confeitariazinha e hoje ter um negócio próspero que emprega um número muito grande de pessoas”

 

ny todos

FACHADA DE ALGUNS DOS EMPREENDIMENTOS

 

Na época o bairro era majoritariamente residencial e, depois de Hori assumir a confeitaria de seus pais, recebeu pedidos para começar abrir as portas e oferecer um lugar para os moradores fazerem lanches.  O passo seguinte foi transformar a confeitaria em lancheria. Mas Hori queria realmente era abrir um bar. Levaram mais uns anos até que a realização desse sonho fosse viável, e em 1995 isso acontece com a abertura do 72 New York.

O bar abriu e rapidamente começou a ganhar uma fiel clientela, Hori diz que é porque “me propus a oferecer cerveja gelada e um bom pastel e entregar isto com excelência”. Com certeza, a cerveja e o pastel devem ter sido importantes, mas não dá para esquecer o fato de que nessa época Hori era cozinheiro, caixa e atendente do bar, fazendo de tudo para que o negócio funcionasse e para que os clientes ficassem satisfeitos.

 “Lá por 98, 99 foi quando eu realmente comecei na noite (como casa noturna). Então, eu era o cozinheiro, era o caixa, era o atendente, era de tudo um pouco… eram 18h mais ou menos de trabalho por dia, mas eu tinha um objetivo.”

O tempo passou e o 72NY se consagrou na noite porto alegrense, o que abriu chance para Hori expandir seu espírito empreendedor em novos negócios, todos pelo bairro Auxiliadora. Hoje ele comanda, além do 72 New York, a galeria 72 Gallery, a loja de decoração LoveIt, o restaurante 72 In e o salão de eventos 72 Lounge. Unindo todos estes, valores sólidos de construir um negócio verdadeiro, muita dedicação e a inquietude de saber que sempre pode ser um pouco melhor.

 

in 3

in 1

RESTAURANTE 72 IN

 

Um grande exemplo disto é a loja LoveIt, o mais novo empreendimento e o mais diferente dos outros uma vez que não faz parte do ramo alimentício. Hori afirma que a transição para o LoveIt foi bastante natural, pois desde que abriu o 72NY a decoração do local e o contato com a arte foi de grande importância para ele. Outro ponto positivo da LoveIt é o fato de apresentar maior estabilidade e segurança do que o ramo de entretenimento e gastronomia – tudo o que se cozinha no dia e não é vendido acaba indo fora. A pericibilidade da matéria prima, a precisão na compra, etc. são pontos chave na gestão do negócio. Na loja, consegue trabalhar com um ciclo de venda mais longo.

 

LOVEIT2

LOVEIT

LOJA LOVE IT

 

“Eu olhava um pouco pro futuro… Se eu estou ganhando, eu tenho que investir. E tenho certeza que esse bairro (Auxiliadora) só tende a crescer. Faz uns 7 ou 8 anos atrás que eu já falava que esse é o bairro mais promissor de Porto Alegre.”

Mas esse ímpeto empreendedor que leva a capilarização dos negócios não é fácil, e mesmo com muito planejamento nem tudo segue os planos traçados. No dia a dia, dificuldades inesperadas surgem, e é preciso muita dedicação e esforço para contorná-las e seguir com os negócios. No atual cenário digital, Hori afirma que “As coisas já foram mais fáceis, e os erros eram concertados mais facilmente”. Agora, quaisquer erros ficam gravados online e uma decisão de gestão errada pode afetar muita gente.

Gerir várias empresas significa que o empresário não pode estar todos os dias cuidando de cada detalhe de cada negócio, e essa situação demandou que Hori começasse a trabalhar de maneira diferente.

“A gente está com uma visão futura para o NY, que também passa por planos e empreendedorismo. Mas também o momento de hoje é mais delicado. Esses investimentos e essa visão de negócios… não basta mais ter o ímpeto de empreendedor, tem que avaliar muito bem.”

Dado esse cenário, o “Grupo” 72 está passando por mudanças nos últimos anos. Hori diz que faz um tempo começou a notar que ele era envolvido demais em todos os aspectos de suas empresas, e quando ele se afastava um pouco os negócios não seguiam da maneira desejada – desafio enfrentado por muitos empreendedores. Essa consciência o levou a iniciar um processo de profissionalização dentro das empresas do grupo, criando processos mais claros e precisos para que ele pudesse se afastar do negócio diário e administrar tudo de uma forma mais estratégica. Essas mudanças se juntaram ao momento econômico de crise que o país passa e o “Grupo” 72 acabou passando por uma reestruturação interna.

“Eu acho que nós, pessoas da minha faixa etária, nos criamos de uma maneira que ficamos muito em cima dos nossos negócios. Necessariamente eu tenho que estar todos os dias a frente do meu negócio. Claro que hoje em dia fazemos um questionamento a respeito disso, o quanto isso foi importante mas o quanto a gente deixou de olhar para o todo.”

 

ny 2

ny 3

ny 4

INTERIOR 72 NY

 

Essa reestruturação foi muito desafiadora, mas necessária para o grupo se organizar internamente e olhar para o futuro.  Horizonte já adquiriu outro imóvel no bairro onde planeja abrir mais um empreendimento. Além disso, nesse olhar para o futuro Hori pensa no dia em que seus filhos irão começar a trabalhar na administração do grupo e trazer novas visões de gestão e estratégia que irão conduzir o “Grupo” 72 para um novo capítulo de sua história. Para manter seu negócio sempre relevante no mercado, o empresário entende que não basta se apoiar nos louros de sua história – é necessário evolução, adaptação e novas perspectivas.

 

MAIS PENSAMENTOS DE HORIZONTE VENZON:

 “Eu há um tempo recebi elogios e me disseram que a minha casa era uma referência. Mas eu nunca tinha parado para pensar que eu faço parte também de uma história da cidade.”

“Quando tu começa a capilarizar teu negócio, nem tudo o que tu pensa acaba acontecendo. Uma coisa foi o NY, em que eu ficava dia após dia e acompanhava tudo. Outra é abrir um negócio, contratar 10 ou 12 pessoas para trabalhar, e não ter experiência para gerir tudo isso.”

“Hoje eu enfrento uma nova fase dos meus negócios. Uma curva que começa a se fazer depois de meus longos anos, meus filhos chegam com uma nova visão de negócio.”

SOBRE O “ENTREVISTAS QUE INSPIRAM”

Somos inquietos e apaixonados por informações e conteúdo que , além de nos estimular,  sirvam de referência para o nosso trabalho. É nesse contexto que o projeto  ‘Entrevistas que Inspiram’ nasce, dando luz a empresas, profissionais e projetos de relevância e que merecem destaque.

Neste espaço de entrevistas, os protagonistas são profissionais que servem como interlocutores das empresas que atendem ao propósito do projeto. Para selecionar as empresas participantes nosso time busca negócios relevantes e pertinentes ao mercado. O tamanho não importa, mas sim o conceito.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s